quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Ahh, ta tudo acontecendo tão rápido na minha vida, e de uma maneira tão brusca ;
Eu tenho só 17 anos, com cabeça de 27, responsabilidades tão grandes quanto a obrigação de trabalhar.
A vida adulta, ou sei lá como devo chamar isso, chegou tão rápido.
eu tenho uma casa, tenho cachorros, não que eu não quisesse isso, eu sempre quis casa, vida independe e cachorros, mais não dessa forma.
Eu aprendi a cozinhar, me conformei com 'lavar louças', perdi o medo de dormir sozinha e quase me acostumei em ter que limpar sujeira de cães, mais eu sinto tanta falta de um carinho da mamãe quando bate aquele aperto por causa do Rick, de um abraço bem apertado do meu pai, dizendo que tudo ia ficar bem.
Das festinhas finais que semana, meus amigos e meus pais juntos, era tão gostoso, eu unia minhas duas famílias, eu tinha meu porto seguro, seguro.
E agora ?
o que ue tenho ?
Medos, inseguranças, e nem mais tempo pra pensar no Rick, nem no meu ex que virou gay, nem no atual, nem no futuro, eu não tenho mais tempo pra mim.
Mais tempo pra mim ainda é o de menos, o que eu quero mesmo é a vida que eu levava de volta, voltar a ser a garotinha mimada que o papai e a mamãe tratavam como uma boneca de porcelana, queria voltar para as minhas bagunças de finais de semana, chegar domingo de madrugar, com a minha mãe me esperando sentada na cozinha, e ligar na rádio para o meu pai, só pra avisar que eu cheguei bem, e ouvir aquele bom dia, com aquela voz suave que só o MEU PAI tem.
Eu quero de volta a minha liberdade ameaçada, ter que me preocupar novamente com horários, por saber que tem alguém me esperando, alguém que acima de tudo me ama, mesmo eu sendo grossa, mimada, chata, fresca, burrinha, alguém que passa pra mim toda a experiência de uma vida inteira, tendo a certeza de que eu vou guarda-la comigo.
Eu cansei de ter que bancar a forte, dizer que está tudo bem, que é uma fase e vai passar.
Eu estou com medo, olha a garota que o pai sempre poupou de tudo e todos está com medo, é, e com muito medo. Eu sinceramente não sei o que vai acontecer daqui pra frente, não sei nem como sobrevivi até aqui, mais hoje, eu tive a prova de que milagres acontecem, e minha fé se renovou diante de uma situação única, e eu sei, hoje mais do que nunca, que meu Deus não falha, e que ele, vai devolver minha vida, minha família, meu sorriso.
Eu sei que vai, talvez não por mim, pois eu não me considero uma tão boa menina, mais pelo meu pai, pela minha mãe, por eles já é o suficiente. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário