sábado, 4 de junho de 2011

o que não faz você mover um músculo, o que não faz você estremecer, suar, desatinar, não merece fazer parte da sua biografia.

-

se não era amor, é da mesma família.

-

eu sei, não precisa dizer outra vez. era uma diversão, uma paixonite, um jogo entre adultos. talvez seja esse o ponto. talvez eu não seja adulta o suficiente para brincar tão longe do meu pátio, do meu quarto, das minhas bonecas.

-

não era amor, era melhor.

-

me quero de volta, eu pago o resgate.

-

queria que houvesse um serviço de tele-soluções entregue a domicílio em menos de meia hora.
que gorjeta boa eu daria.

-

amor nenhum me fará amarrar um avental em torno da cintura e encarar uma cozinha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário