terça-feira, 3 de maio de 2011

Sabado eu passei em frente ao 'nosso barzinho'
Nem que eu não quisesse sentir saudade, foram taaaantas vez.
.. acho que nem tantas, mais com você tudo parecia infinitamente eterno.
Percorri aquele nosso caminho, desci a avenida, parei no sinal, vi a coop ..
Coisas normais, eu sei, afinalm o caminho vai ser sempre o mesmo, e duvido que a coop mude de luagr um dia, más é que essas coisas eu não consigo mais fazer sem pensar em você.
Sem lembrar que a cada semáforo, você tinha que dizer que a minha voz é irritante, que eu falo demais, que eu sou muito convencida, que eu sou bobinha!
.. sem lembrar que a cada olhar , tinha um sorrisinho safado, uma cantadinha barata, uma brincadeirinha boba.
.. sem lembrar que a cada copo de chop era um zuado, um assunto trocado, uma resposta bizarra.
Sem lembrar que a cada dia da semana que passava, eu contava no dedo os dias para sexta a noite, sabado .. por que eu sabia que chegando quinta, você mandaria noticiais, me chamaria pra sair .. ou então ia me zoar por alguma coisa, e eu depois te chamaria pra sair.
Impossível passar pelo Sonda e não olhar para o outro lado da rua, foi ali que eu te vi pela primeira vez.
Te achei baixinho e marrento de inicio, e confesso que te achei mais ainda depois que comversamos já em outro lugar.
E confesso ainda que continuo te achando marrento, mais ainda ainda tá dificil te substituir.
.. quando passo pela rampinha perto de casa, lembro da sua cara de tédio, e voz sarcástica dizendo que eu era mesmo muito folgada e não podia descer do carro e ir a pé pra casa mesmo estando tão perto, e você teve que dar a volta na rua, e ficou bravo por isso.
E minutos depois de me deixar em casa, meia noite, me ligou e disse que não queria relacionamento sério, achei engraçado o jeito que você falou. Eu não liguei, nunca quis também, essas coisas de melação e tudo mais não são pra mim. e você entendeu isso.

Idiota seria dizer que eu te amo, vamos lá, eu não te amo nem um pouquinho.
Acho que também não sou loucamente apaixonada por você, talvez apaixonadinha só.

Más sabe, é que cada vez que a gente saia, eu me divertia pelo ano inteiro, mesmo você sendo chato, e metido, e bobo .. você me fez feliz todas as vezes que estava comigo.
Até nos momentos sérios, tirou grandes sorrisos de mim.
Você mereceu todos os meus sorrisos.

Até hoje eu dou risada de quando eu falava séria com você, e você me perguntava: ' você tá brigando? '
.. não , eu não tava, ou pelo menos não necessariamente.

Depois do ultimo bolo, eu deletei seus numeros do meu celular, os daqui e da outra cidade.
Confesso que apaguei da agenda, mais ainda tinha em numeros discados, mais fingia que não, mentindo pra mim mesmo, que mesmo que eu quisesse não poderia te ligar.
Olha, troquei de aparelho, agora não tenho de fato nenhum contato seu, o que por um lado é bom, não levo mais bolo. Más por outro lado, é desesperador.
As vezes da uma vontade incontrolável de te mandar uma mensagem nem que seja só te chamando de mané , e você devolver exigindo 'resPEITO', assim, desse jeitinho..
te ligar, e ouvir você sempre animado me perguntando o que eu tava fazendo .. o que eu ia fazer .. se o bicho papão comia ?
ahh.. eu sinto falta de você. e espero que você leia por conta esse texto, por que eu jamais vou te mostrar.


Saudade imensa Paulo !

Nenhum comentário:

Postar um comentário